Interações entre medicamentos e chás

É difundida em todo o mundo a utilização de ervas medicinais para cura de doenças.  Quando consumidas de maneira correta, as mesmas possuem efeitos benéficos para a saúde.

Contudo, as plantas medicinais devem ser consumidas com cautela, devido ao risco de interações com medicamentos, podendo potencializar a ação ou até mesmo inativá-los.

Existem muitos  estudos que mostram os efeitos dos chás no organismo.  A camomila, por exemplo, tem propriedades digestivas, sedativas, anti-inflamatórias e analgésicas. No entanto, em doses elevadas, pode provocar paralisia dos músculos lisos do aparelho digestivo, útero e bexiga. Além disso, potencializa os efeitos dos anticoagulantes orais, reduz a absorção de vários medicamentos e causa hemorragia. Não deve ser utilizado jamais por mulheres grávidas.

 

Abaixo consta uma lista com algumas das principais interações entre chás e medicamentos

 

Alcachofra: tomado junto com diuréticos (furosemida e hidroclorotiazida) aumenta o risco de perda de potássio.

Alcachofra: tomado com medicamentos para reduzir a pressão sanguínea (anti-hipertensivos) aumenta o efeito do medicamento.

Boldo com anti-hipertensivos: aumenta a ação do medicamento (a pressão ficará mais baixa do que o esperado).

Chá-verde com anti-hipertensivos: pode provocar efeito contrário, elevando a pressão.

Erva-de-São-João com antidepressivo (paroxetina): pode ocasionar intoxicação, sedação e depressão do sistema nervoso central.

Funcho: potencializa o efeito do antibiótico ciprofloxacino.

Guaco com anticoagulantes (fármaco usado para evitar a formação de coágulos no sangue): pode provocar acidentes hemorrágicos.

Cidreira com sedativo (pentobarbital): potencializa o efeito do medicamento. Não é recomendado para hipotensos (pressão baixa).

Carqueja: potencializa o efeito do lítio (usado em medicamentos que controlam a depressão).

 Cáscara-sagrada: usado para emagrecer. O uso prolongado causa alterações no funcionamento do intestino e pode provocar sangramentos e fissuras anais.
 
 Evite a automedicação!
Consulte um farmacêutico
 

Medicamentos para dor

Quando estamos com alguma dor, recorremos inicialmente a um analgésico ou a algum anti-inflamatório. Os medicamentos para dor são chamados AINES ( anti-inflamatórios não esteróides) e possuem diferentes classes e propriedades.

Devido a estes medicamentos serem de venda livre em Farmácias, é muito comum efeitos colaterais relacionados á eles, como hemorragias, úlceras gástricas, problemas no figado, nos rins, dentre outros.

Medicamentos com risco potencial para a saúde:

PARACETAMOL: Quando utilizado em doses elevadas ( maior que 4 gramas ao dia para uma pessoa que pesa 70 Kg) provoca problemas no figado, podendo levar à morte.

ASPIRINA: Se utilizada com muita frequência, provoca hemorragias e úlceras no estômago.

MELHORAL INFANTIL: NÃO DEVE SER UTILIZADO POR CRIANÇAS, DEVIDO AO RISCO DE DESENVOLVER SINDROME DE REYE.

 

DIGA NÃO À AUTOMEDICAÇÃO!